La La Land: Cantando estações | Resenha

La La Land: Cantando estações é o favorito a levar o Oscar de Melhor Filme em 2017. Além disso, está concorrendo em outras 12 categorias: Melhor Direção, Melhor Atriz (como fora mencionado na resenha de Louise Smith aqui no Projeto Nellie Bly), Melhor Ator, Fotografia, Mixagem de Som, Figurino, Edição de Som, Direção de Arte, Trilha Sonora, Canção Original – para duas músicas: Audition (The fools who dream) City of Stars -, Roteiro Original, e Edição.

A história é muito simples. Sebastian é um pianista que sonha em abrir um clube de jazz em Los Angeles. Mia é uma atriz, buscando sua grande chance de brilhar nos filmes de Hollywood. Antes de se conhecerem, vemos como é difícil essa jornada, mas, uma vez que se unem, um dá força ao outro para que ambos arregacem as mangas, façam sacrifícios e lutem por seus sonhos, vencendo cada meta, dando um passo de cada vez.

lalaland
Me senti exatamente assim assistindo ao filme. É apaixonante!

No entanto, a forma como os sonhos são realizados não é nada simples. Tampouco as consequências do que é preciso abrir mão para torná-los reais. Com La La Land, você aprende que os sonhos custam um preço. É preciso decidir se você tem a garra necessária para ir atrás deles, independentemente do que possa lhe custar. Dessa forma, no fim do filme – e este não é um spoiler do que acontece com os personagens, mas é um spoiler de como você possivelmente vai se sentir -, você entende que tornar os sonhos reais não significa alcançar uma vida perfeita, tampouco ter chegado ao fim. E o que mais gosto é da sensação que paira no ar. A conquista de um objetivo não é o fim. É apenas um virar de páginas.

A magia do Cinema está presente em cada segundo que você perde seu fôlego assistindo a La La Land, em cada vez que você pisca e teme ter perdido um brilho no olhar de Ryan Gosling ou uma expressão de angústia estampada no rosto da sonhadora Mia (Emma Stone).

Por isso, é um musical feito para os apaixonados por Cinema. Não estou me referindo aos blockbusters de hoje em dia. Estou falando sobre o Cinema de Audrey Hepburn, Marilyn Monroe, Elizabeth Taylor.

audrey
Quem mais pegou a referência a essa cena em La La Land?

 

Tudo isso sem contar as diversas referências a filmes que marcaram a história do Cinema e, possivelmente, as vidas de milhares de pessoas (estou claramente me incluindo neste grupo de pessoas). Como uma grande fã de Audrey Hepburn, soltei um suspiro ao ver uma referência à cena de Cinderela em Paris, quando Audrey segura vários balões coloridos.

No entanto, se você não gosta de jazz, sonhos, cores vibrantes, ou esperança, certamente este não é um título que lhe diga respeito. La La Land é para os que enxergam, nos sonhos, objetivos, porque eles não são feitos para serem deixados guardados em gavetas. Sonhos são feitos para serem vividos. E o objetivo da vida é justamente ir atrás deles.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s