11 Filmes de animação, com protagonismo feminino, que você precisa assistir.

1) A viagem de Chihiro (2001)

21052756_20131024195513383

Filme japonês produzido pela Studio Ghibli e dirigido e escrito pelo prestigiado Hayao Miyasaki.

Sinopse: A caminho de seu novo lar, o pai de Chihiro decide pegar um atalho e se perde. Sua família chega numa cidade sem nenhum habitante e seus pais decidem comer a comida de uma das casas, mas Chihiro desconfia de algo. Os pais são transformados em porcos gigantes e, para salvá-los, Chihiro terá que enfrentar os desafios de um mundo fantasma, povoado por seres exóticos.

Esse desenho animado foge do que estamos acostumados a consumir no Brasil, no entanto, ele tem uma narrativa incrível, que, através da fantasia, mostra a transformação de uma menina, Chihiro, da infância para a adolescência.

200-14
Chihiro é bastante corajosa e, não é à toa, que entra num ônibus cheio de fantasmas.

Os seres do outro mundo são todos enigmáticos, alguns amigáveis, outros, assustadores, nos lembrando que crescer é isso, enfrentar todos os tipos de desafios, tendo pessoas do nosso lado ou não. A pequena Chihiro cria um laço de amizade muito forte com Haku, um menino que perdeu sua identidade para a pavorosa Vovó Yubaba e está preso na cidade dos fantasmas.

20161115_582a7f157305b
Chihiro e Haku.

O filme é repleto de mistério e magia, com direito a fantasmas gulosos, bebês gigantes e dragões. A protagonista é encantadora e bastante determinada, pois tudo o que ela quer, é salvar seus pais e seu mais novo amigo, Haku, que também a ajuda nessa jornada.

Eu aconselho esse filme porque tem uma visão de mundo completamente diferente dos costumes brasileiros, mas podemos nos identificar pelas emoções dos personagens. Além de que, a trama é bastante única e nos apresenta um universo esquisito, porém intrigante e cativante.

2) Cada um na sua casa (2015)

466137

Um filme da DreamWorks Animation, dirigido por Tim Johnson e roteirizado por Tom J. Astle e Matt Ember.

Sinopse: A Terra é invadida por uma raça alienígena em busca de um novo lar. Porém, uma esperta garota chamada Tip, consegue fugir e acaba virando cúmplice de um alienígena exilado, chamado Oh. Os dois fugitivos embarcam em uma grande aventura.

Esse filme é uma graça e tem dois personagens incríveis, Tip e Oh, que vivem uma jornada juntos e, apesar das diferenças, são o suporte um do outro, para que Tip reencontre sua mãe e Oh descubra onde é o seu lugar.

Esse longa é incrível, principalmente pela representatividade, visto que Tip é uma menina negra e é raro termos protagonistas negras em desenhos animados com tamanha repercussão.

200-12
Sim Tip, você é maravilhosa!

Além disso, a amizade dos dois personagens é muito forte e associável, nos lembrando que nossas diferenças também são capazes de nos unir. Acho maravilhosa a forma como um ajuda o outro e como eles vão aprendendo o significado de família e amizade, ao longo da trama. Tanto Oh, quanto Tip, aprendem os costumes um dos outros, inclusive Oh nunca tinha dançado uma música antes de conhecer sua nova amiga.

200w
“Minhas mãos estão pro alto, como se eu não me importasse!”

Esse filme vale por tudo, pela narrativa, pela protagonista e, também, pela trilha sonora, que está incrível e tem Jennifer Lopez cantando a música original do filme, Feel the light. E claro, não podemos nos esquecer que quem dubla a personagem na versão americana, não é ninguém mais, ninguém menos, que Rihanna, e suas músicas também estão na trilha sonora.

QUEREMOS JÁ!

Clipe da canção Feel the light, interpretada pela J-Lo.

3) Divertida Mente (2015)

365361

Uma produção Disney Pixar, dirigido por Pete Docter e Ronnie Del Carmen.

Sinopse: Crescer pode ser uma jornada turbulenta e com Riley não é diferente. Conforme ela e suas emoções, Alegria , Medo, Raiva, Nojinho e Tristeza, se esforçam para adaptar-se à uma nova vida, uma enorme agitação toma conta do centro de controle em sua mente. Embora Alegria, a principal e mais importante emoção de Riley, tente se manter positiva, as emoções entram em conflitos, sobre qual a melhor maneira de viver em uma nova cidade, casa e escola.

Como falar desse amorzinho em forma de animação?

Nada como uma história que nos mostre como é crescer, lidando com todas as mudanças de nossas vidas e como nossa cabecinha pode pirar, quando temos dificuldade em nos encaixarmos numa nova realidade.

Nossos sentimentos são muito bem representados, claro que eles escolheram somente cinco das emoções que temos, mas são as mais importante e, de uma forma extremamente divertida, aprendemos como Alegria e Tristeza andam juntas e ambas são necessárias para nosso desenvolvimento como seres humanos.

200-20
Alegria, Tristeza, Raiva, Nojinho e Medo.

Acho incrível a história da Riley, que agora enfrenta uma escola nova e tem pesadelos como “o dente caindo e ela aparecendo sem calça no colégio”. Quantas vezes já não tivemos esse sonho, né? Eu tive milhares de vezes e olha que estudei no mesmo lugar, por anos.

Adoro a personagem Nojinho, porque ela nos lembra como ser descolada na escola, o Medo, que nos ensina os perigos e, na maioria das vezes, as paranóias que temos no dia a dia, sem contar o Raiva, que vive explodindo, porque né, a vida não é fácil.

200-19
Não é fácil!

Mas claro, as melhores personagens são Alegria e Tristeza, a primeira nos lembrando que ser positivo é importante e faz bem pra gente e, a segunda, nos lembrando que nem sempre conseguimos ficar alegres e que tudo bem, pois todos passamos por momentos difíceis e são justamente nessas horas que, família e amigos são essenciais em nossas vidas.

O longa-metragem vale não só pela linda história, mas porque tem cenas hilárias como o namorado(a) dos nossos sonhos, aquela pessoa que todas as meninas e meninos, sonham na adolescência, que virá nos resgatar de nossa realidade e viveremos felizes para sempre. Mas isso é só sonho, até porque, legal mesmo é se apaixonar por pessoas reais e que nos fazem bem.

200-22
“Eu morreria pela Riley!” Esses crushs imaginários, hein?

No demais, acho que o ponto mais marcante desse filme é mostrar a personagem Tristeza, um dos sentimentos que mais teremos ao longo da vida, como algo importante e que faz parte de ser humano. Não podemos afastar a tristeza e sim entendermos que ela é necessária e que pode ser uma aliada no nosso crescimento e, que, junto das outras emoções, ela que nos torna especial e humanos.

E o prêmio de melhor personagem vai para…

200-21
Tristeza! A drama queen mais linda de todas.

4) Frozen (2013)

1d52e8741feb668c8ed07199e7d41c3d

Filme da Disney dirigido por Chris Buck e Jennifer Lee, que também é a roteirista do longa.

Sinopse: Acompanhada por um vendedor de gelo, a jovem e destemida princesa, Anna, parte em uma jornada por perigosas montanhas de gelo na esperança de encontrar sua irmã, a rainha Elsa, e acabar com a terrível maldição de inverno eterno, que está provocando o congelamento do reino.

Para TUDO, porque está na hora do momento “Let it go”.

200-24

Sim, é filme de princesas, mas, não estamos falando daquelas princesas que tem finais felizes para sempre, com príncipes encantados. Muito pelo contrário, o filme até brinca com essa ideia surreal, de ensinarmos meninas a esperar por um princípe que não existe, mostrando Elza confusa com sua irmã mais nova, que decide se casar com um moço que ela conheceu há um dia.

Existem outros projeto da Disney que também brincam com essa ideia fantasiosa, que o próprio estúdio Walt Disney insiste em contar, como o filme Encantada, que também é maravilhoso e só não entrou na lista porque é um filme live-action*.

200w-2
Fica pra próxima, Giselle.

Primeiro que é incrível a Elza achar surreal o casamento de sua irmã e ser contra, porque realmente não dá para casar com alguém que conhecemos em um dia.

Segundo que, a própria rainha Elza, de tanto que ela foi reprimida e forçada a esconder seus poderes de gelo, acabou sendo um exemplo de força feminina, quando ela decide que não mais esconderá quem ela é e que será feliz assim.

Mas claro, nem tudo são flores, ao longo da jornada ela vai aprender como controlar seus poderes e entenderá como pode ajudar seu povo, com essa magia única e encantadora.

Além disso, temos o querido Olaf, um boneco de never que adora abraços quentinhos e sonha com o verão. Ele é uma figurinha!

200-10
Você mesmo, Olaf!

Por fim, o momento mais especial, é a narrativa mostrar o que é o amor verdadeiro. Amor verdadeiro pode ou não ter laços consanguíneos, e não necessariamente será um par romântico, ele pode ser amor de mãe, pai, ou, como o filme retrata, amor de irmã.

Tem coisa mais linda do que a ligação entre Elza e Anna?

200-9
Elza e Anna quando pequenas.

Então vá assistir esse longa porque é outro roteiro que nos faz refletir sobre os padrões da sociedade e, mesmo as princesas sendo lindas e perfeitas, algo que ainda precisa ser quebrado, ele é incrível e um passo para a transformação e o feminismo já na infância.

Agora, vocês me dêem lincença, que eu vou ali fazer a Elza, porque nesse verão, só seus poderes congelantes nos salvará.

200-8
Vai um gelinho aí?

5) Lilo e Stitch (2002)

lilo-stitch-critica-poster-camundongo

Outra produção Walt Disney, com direção e roteiro de Dean DeBlois e Chris Sanders.

Sinopse: Um alienígena fugitivo aterrisa no Havaí, onde mora a jovem órfã Lilo Pelekai, que está ameaçada de ser removida da guarda de sua irmã mais velha, Nani. Numa visita a um abrigo de animais para adotar um cachorro, Lilo acaba levando a Experiência 626 e o batiza de Stitch. Agora, Lilo tenta educar seu rebelde “animal”, enquanto Stitch evita ser levado de volta à seu planeta.

Agora o assunto ficou sério. O que é Lilo & Stitch?

Sinceramente, ao meu ver, esse é um dos melhores filmes que a Disney já lançou.

Primeiro que a Lilo é a personagem mais fofolinda que existe e, assim como muitas crianças, ela tem dificuldades em se enturmar no grupo de amizades. Com isso, em uma das cenas, Lilo vê uma estrela cadente e pede um “anjinho”, mas acaba ganhando o Stitch, que, no final, é mais que anjo, ele se torna um grande amigo.

200-25
“As pessoas me tratam diferente.” Ah, querida Lilo.

Depois, a própria história do Stitch é incrível, um alien criado para destruir tudo o que vê pela frente, mas que cria laços fortes com sua nova família, no planeta Terra, e descobre que não está mais sozinho no mundo.

Além disso, também temos os hilários Agente Pleakley e o cientista Jumba Jookiba, que nos divertem tentando caçar o Stitch, porém se aliam ao próprio alienígena para resgatar sua amiga e irmã, Lilo.

lilo-e-stitch
Agente Pleakley, Jumba, Stitch e Lilo.

Também temos o agente Cobra Bubbles, que vive de cara amarrada, mas tem o maior coração e salvou o planeta Terra de ser extinto por uma raça alienígena, tudo isso graças aos mosquistos.

200-26
Mas também, né? O trabalho dele não é fácil!

Ademais, a relação mais linda e encantadora do longa, é a de Lilo com sua irmã mais velha, Nani, que agora, assume o papel de “irmãe”. Elas perderam seus pais num acidente de carro e, agora, são a única família que tem e é simplesmente apaixonante a forma como elas se amam e, mesmo tendo problemas como todas as irmãs, lutam até o fim para ficarem juntas.

Eu amo essa produção cinematográfica, pela representatividade, pela forma como mostra amor, amizade e família e, também, por mostrar diversidade, provando que nossas diferenças nos tornam únicos e especiais. Além de que, as frases e lições do roteiro são lindíssimas e inesquecíveis.

200-6
“Ohana quer dizer família. Família quer dizer nunca abandonar ou esquecer.”

Assim, eu recomendo essa história pela carga emocional, pelas aventuras incríveis, por nos identificarmos com as dores dos personagens e, claro, porque a trilha sonora toca Elvis Presley. Até o Stitch se rende aos encantos do rei.

200-7
Stitch Presley.

6) Moana (2017)

csky6rmviaenstq-jpg-large

Dos criadores de Frozen e Zootopia, essa é a mais recente produção da Disney, dirigida por Ron Clements e John Musker.

Sinopse: Moana Waialiki é uma viajante entusiasta do mar e a única filha de um chefe, em uma longa linha de navegadores. Quando os pescadores da ilha não conseguem pegar nenhum peixe e as colheitas falham, ela descobre que o semideus, Maui, causou esta praga ao roubar o coração da deusa Te Fiti. Para salvar seu povo, Moana parte em uma jornada pelo pacífico, com o intuito de convencer Maui a devolver o coração e quebrar a maldição.

Mal lançou o filme e, eu, uma garota de vinte e cinco anos, já fui ao cinema assistir. E vou lhe dizer, valeu muito à pena!

Moana não é uma princesa, mas sim uma líder e uma sonhadora aventureira. Ela é extremamente determinada e destemida, aceitando o desafio de ir atrás do semi-deus, Maui, e salvar seu povo, visto que agora ela assumiu a liderança do grupo.

200-11
Moana.

A trilha sonora está incrível, mas incrível MESMO, e a gente segue a jornada dessa heroína, vendo seus antepassados, seus medos e sua coragem, para conquistar seu lugar no mundo.

Além disso, é muito legal a relação de Moana com Maui, um cara mimado, que, na verdade, só queria ser aceito e adorado por todos. Ela dá um banho de maturidade e ensinamentos ao semi-deus, mas, juntos, formam uma dupla e tanto.

Aliás, Moana deixa bem claro que está ali pra aprender e ser independente e não espera que nada, nem ninguém, faça seus deveres por ela.

E o que falar do Tomatoa, Mon Amour? Tem carangueijo mais charmoso que esse, todo brilhoso? Apesar dele ser “malvado”, não dá pra resistir à sua sequência musical e se encantar com tanto glamour.

tamatoa-moana-movie
Tomatoa.

No entanto, a amizade e o amor mais lindo é de Moana com sua avó, Tala, considerada a “maluquinha” da aldeia. Elas tem uma relação muito fofa e uma é o grande apoio da outra. Achei linda todas as cenas em que ambas estavam contracenando e, admito, chorei um pouquinho.

200-9
Todo grupo tem uma maluquinha incrível, né?

Sério, se você não viu, compre seu ingresso agora e veja ou, assim que lançar pra DVD ou Blue-ray, assista. É um dos filmes com protagonista feminina mais incríveis que a Disney lançou nos últimos anos e, uma curiosidade, o filme foi baseado em histórias da mitologia polinésia. O que você está esperando?

VAI ASSISTIR AGORA!

7) Mulan (1998)

mulan_ver1

Produção Disney, dirigido por Tony Bancroft e Barry Cook.

Sinopse: Baseada numa das lendas mais populares da China, esta aventura conta a história de uma jovem destemida, Mulan, que decide se disfarçar de homem, treinar para se tornar um bom soldado e, assim, ocupar o lugar de seu pai no exército chinês. Acompanhada por seu divertido dragão de guarda, Mushu, Mulan treina para ser um soldado habilidoso e valente e acaba aprendendo muitas lições sobre coragem, honra e amor.

Vamos ser sinceras, Mulan é diva da parada toda!

Sem dúvida alguma, este é um dos meus filmes preferidos de animação e, com certeza, minha protagonista favorita. Amo o jeito desastrado da Mulan, sua “rebeldia” em prol do amor pela família e sua coragem, em enfrentar inimigos e o machismo do seu próprio país.

200-12
MARAVILHOSA!

Esse é o tipo de filme que arrepia à alma e nos faz ter o maior orgulho de sermos mulheres. É incrível como Mulan quebra todas as regras, justamente por amor à seu pai.

Nessa aventura, ela recebe a pior e melhor ajuda de todas, do seu guardião, Muchu, e seu grilinho da sorte, Gri-li. Enquanto este realmente parece trazer sorte, o outro é completamente atrapalhado e estressadinho, mas um fofo, que nos faz querer um guardião igual à ele.

200-15
Muchu e Gri-li.

Além disso, também aprendemos bastante sobre a cultura chinesa e o patriotismo do país, e nos maravilhamos com os personagens e suas histórias, todas únicas e especiais. Sem contar nas músicas do filme, que são excelentes.

Outra coisa surpreendente é que, literalmente, a heroína de toda a história, é a Mulan. Por mais que tenham vários outros homens do exército, como o capitão Shang, ela quem descobre todos os truques do inimigo e vira uma das maiores heroínas da China. Só tenho amor e orgulho por essa personagem.

Assista porque você NÃO vai se arrepender!

200-30
Mulan e Shang.

8) Persepolis (2007)

artoff1375

Animação francesa, baseada no romance autobiográfico homônimo de Marjane Satrapi, dirigida e escrita por Marjane Satrapi e Vincent Paronnaud.

Sinopse: Uma jovem iraniana que sonha em ser profeta, acompanha de perto a queda do Xá e de seu regime brutal. No entanto, ela acaba se revoltando contra as imposições fundamentalistas dos rebeldes, especialmente contra as mulheres.

Essa animação é em preto e branco e tem um tom bem mais sério do que as outras mencionadas. Ela segue a infância, adolescência e juventude de Marjane (Marji), uma iraniana que quebra tudo o que nós, do lado de cá, imaginamos sobre os costumes de seu país.

Baseado em sua vida pessoal, vemos como a protagonista, desde criança, lidava com a guerra e a repressão de seu Estado, com todos os que eram contra as leis, principalmente à opressão das mulheres.

persepolis-images
Marjane, novinha, era fã de rock, no entanto, esse tipo de música era proibida em seu país.

Ao longo da história, Marjane vai morar duas vezes no exterior, primeiro em Viena, ainda jovem, depois na França, nunca mais voltando à seu país de origem. Nessas viagens, também acompanhamos o seu dia a dia, suas amizades e relações amorosas, bastante desastrosas, como a de qualquer outra menina na faixa dos 15-20 anos.

200-32
E as baladas secretas em seu país, hã? Maravilhosas!

É incrível como vemos a força das mulheres iranianas, cansadas de tantas regras e imposições, desde crianças. Além disso, também sentimos a dor da personagem principal, que se vê forçada por seus pais, que querem o seu bem, a morar em outro país, para que possa ter a liberdade que sempre desejou. Até mesmo sua avó, divorciada há anos, numa época em que o divórcio era mal visto, torcia pela ida de sua neta e que esta tivesse uma vida bem melhor que a dela.

200-33
“Você vai conhecer muitos idiotas em sua vida.” Falou e disse, Vovó!

No demais, eu aconselho esse filme, pois aprendemos um pouco mais sobre a história, extremamente única, de Marji, nos mostrando, pela sua visão de mundo, como foi sua vida ao longo das décadas de 80 e 90, no meio da repressão, guerra, amor e família.

9) Pocahontas (1995)

pocahontas-clasicos-na-critica-poster-11

Mais um filme da Disney, com direção de Mike Gabriel e Eric Goldberg.

Sinopse: Este é o conto sobre o romance entre uma jovem indiana americana, chamada Pocahontas, e o capitão, John Smith, que viajou para o Novo Mundo, junto de outros colonos, para começar uma vida nova. Seu poderoso pai, Chefe Powhatan, desaprova este relacionamento e quer que ela se case com um guerreiro nativo. Enquanto isso, os companheiros de Smith esperam roubar o ouro dos nativos. Será que o amor de Pocahontas e Smith salvará o dia?

Apesar deu achar a personagem bastante sexualizada e isso ser um problema, ainda mais por se tratar de um desenho animado, aonde a sexualização das personagens deveria passar longe, eu adoro essa trama e me encanto com as atitudes dessa protagonista. Uma aventureira, bastante independente, que questiona às regras de seu mundo quando conhece pessoas de outro mundo.

Pocahontas respeita muito seu pai e sua aldeia, mas não se contenta com as imposições destes. No entanto, ela os defende, com toda a garra, dos ingleses, que querem levar as riquezas de seu lar.

200-16
Pocahontas.

Além disso, as conversas que ela tem com sua avó, Willow, que fala com sua neta através de uma árvore encantada, são muito inspiradoras e nos engrandecem como pessoas. A forma como sua avó a ajuda a lidar com seus sentimentos por John e seu respeito à seu povo, é incrível, mostrando que amor nos faz questionar nossa realidade, mas não nos impede de juntar o velhos ensinamentos, com novos aprendizados.

200-31
Vovó Willow.

Como é baseado em fatos reais, esse filme também nos faz refletir sobre a covarde colonização dos europeus às terras dos índios. Quem dera se na vida real, eles respeitassem o espaço dos nativos e fossem embora.

Mesmo sendo uma ficção animada, temos muito o que aprender com a história dessa heroína, que é capaz de tudo por amor, família e lealdade, nos ensinando a principal base da convivência entre humanos: o respeito.

200-17
Sem contar, no seu amor e carinho pela natureza e os animais.

Aconselho essa trama por todos os ensinamentos, que nos fazem crescer como pessoa e como civilização, o respeito ao próximo e a natureza, além de ter músicas lindas, como “Cores do vento”.

Cena da música “Cores do Vento”.

10) Valente (2012)

valente

Uma animação Disney Pixar, dirigida por Brenda Chapman, Mark Andrews e Steve Purcell. A história foi criada pela Brenda Chapman, que também participou do desenvolvimento do roteiro.

Sinopse: Merida, uma talentosa arqueira e a teimosa filha do Rei Fergus e da Rainha Elinor, está decidida a trilhar o seu próprio caminho. Com isso, ela desafia uma antiga tradição sagrada para os agitados e divertidos Lordes do reino. As ações de Merida desencadeam, sem querer, o caos no reino. Agora, ela precisa usar todas as suas habilidades para desfazer uma terrível maldição antes que seja tarde demais.

Merida é a rebelde ruiva que você mais respeita! Sim, sim!

200-3
“Eu sou demais! Sim, a melhor passando.”

Essa protagonista é incrível, porque ela, assim como as outras citadas, simplesmente não aceita às regras do reino em que vive. Como seus pais decidem que esta deve se casar, seguindo a tradição, a convite de sua mãe, a Rainha Elinor, os filhos primogênitos de três reis, aceitam o desafio e tentam conquistar a mão de Merida.

No entanto, irritada e decepcionada com essa tradição, nossa personagem decide lutar pela sua própria mão e mostra muito mais habilidade, com seu arco e flecha, do que os outros concorrentes.

Óbvio que sua mãe fica extremamente desapontada com esta atitude e, nossa heroína, foge do castelo, tentando buscar uma resposta que mude seu destino. Assim, ela encontra o lar de uma bruxa que faz um feitiço, ao qual transformará a rainha Elinor em um urso.

200-36
Rainha Elinor antes do feitiço.
200w-3
Depois do feitiço.

A partir disso, o longa mostra a transformação, tanto de Merida, quanto de sua mãe, que juntas, tentarão desfazer a magia e se reconectar, uma com a outra. É simplesmente lindo e comovente as cenas em que, mãe e filha, buscam uma saída para seus problemas e sua falta de comunicação, nos lembrando que ser mãe, também é dar liberdade e, ser filha, é aprender e ensinar ao mesmo tempo.

Eu aconselho essa produção por tantos motivos, mas, principalmente, por se passar num reino distante e, mesmo assim, ser possível de se associar com a vida de qualquer menina que está cansada das regras de sua sociedade. Além disso, os trigêmeos, irmãos de Merida, são engraçadíssimos, assim como seu pai, o Rei Fergus, nos entretendo nessa emocioante narrativa, de uma líder aventureira que irá provar o seu lugar no mundo.

11) Zootopia (2016)

d4weun0ys74-movieposter_maxres

Dos mesmos criadores de Frozen e também um projeto da Walt Disney, foi drigido por Byron Howard, Jared Bush e Rich Moore.

Sinopse: Quando Judy Hopps chega em Zootopia, ela descobre que ser a primeira coelha da equipe da polícia, formada por animais grandes e fortes, não é nada fácil. Determinada a provar seu valor, ela embarca em uma aventura atrapalhada e bem humorada, ao lado do malandro raposo, Nick Wilde, para desvendar um grande mistério.

Não sei como falar dessa lindeza de filme, sem puxar o maior saco. Licença!

Primeiro que o filme fala e mostra diversidade e eu acho isso fantástico. Segundo que, nossa protagonista, a querida Judy Hopps, ou, Cenourinha, quebra todos os tabus possíveis, sendo a menor e única mulher da delegacia de polícia ao qual conquista uma vaga.

200
Sim, Cenourinha…você é incrível! Bate aqui *pá!

Apesar de todos os deboches dos valentões da àrea, a policial não se dá por vencida e vai até o fim com suas suposições sobre o misterioso desaparecimento do Sr. Otterton. A partir disso, ela acaba se aliando ao malandro Nick Wilde, que se torna seu grande amigo e companheiro na luta contra o crime.

A história é linda, divertida e dá um show de representatividade, enfatisando que todos merecemos ser respeitados, independente dos nossos sonhos, gostos e aparência. A determinação de nossa personagem principal nos motiva, o tempo todo, a lutar por um mundo melhor, porque ele é possível SIM.

Amo, amo, amo! Não consigo conter minha simpatia pelo roteiro e pela Cenourinha, que é uma linda, guerreira e super independente, que prova que sonhos são possíveis de se tornar realidade, mesmo quando o resto do mundo insiste em lhe dizer que não são.

200-2
Judy Hopps é a melhor e ela sabe disso.

Sem contar na hilária cena do que, aqui no Brasil, chamamos de Detran, onde todos os funcionários são bichos-preguiça. E aí, alguma semelhança com a realidade?

200w
Foi só uma piadinha…

Aliás, não foi à toa que o filme ganhou o Globo de Ouro de melhor animação, nesse ano de 2017. Assistam ao longa-metragem, porque ele vai te emocionar e lhe proporcionar entretenimento e aprendizado, da forma mais fofa e incrível possível.

*live-action: é um termo utilizado no cinema, teatro e televisão para definir os trabalhos que são realizados por atores reais, ao contrário das animações.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s